Skip to content

Pesquisa revela em quais profissões os homens ainda ganham mais que as mulheres

Um novo estudo do CareerBuilder em parceria com a Economic Modeling Specialists Intl (EMSI) mostrou a diferença salarial média que existe entre homens e mulheres no mercado de trabalho. Os homens ganham em médica US$ 68.300 por ano contra US$ 44.400 das mulheres.

O estudo também mostra que as mulheres têm assumido mais cargos de liderança, tendo papel igual ou superior ao dos homens em algumas posições. Porém, alguns fatores ainda atrapalham a aceitação total delas nestes cargos:  “Enquanto os empregadores têm feito progressos na equalização de compensação para ambos os sexos, as lacunas históricas ainda estão presentes em algumas organizações até hoje”, disse Rosemary Haefner, vice-presidente de Recursos Humanos da CareerBuilder. “Também contribui para a disparidade nos níveis de renda, a representação maior de homens que trabalham em ocupações mais lucrativas. Felizmente nós estamos começando a ver que o início do equilíbrio entre os sexos. Isto acontece desde que as mulheres passaram a fazer parte de setores com altos salários, como tecnologia da informação, engenharia, área de saúde, vendas, etc “

Ainda assim o mercado reflete a preferência pelos homens em cargos maiores. Cerca de 83% dos CEOs americanos são homens. Além disso, a pesquisa realizada pela CareerBuilder em parceria com a EMSI mostrou que 28% dos homens entrevistados têm interesse em cargos gerenciais contra apenas 16% das mulheres.

A seguir você confere a lista com os cargos mais rentáveis do mercado acompanhado da porcentagem de homens e mulheres que ocupam estas posições. Somente em 4 delas as mulheres são maioria:

  1. Cirurgião oral & maxilofacial – 43% homens, 57% mulheres
  2. Ortodontista – 43% homens, 57% mulheres
  3. Médico e cirurgião geral – 55% homens, 45% mulheres
  4. Dentista geral – 51% homens, 49% mulheres
  5. Engenheiro de petróleo – 97% homens, 3%  mulheres
  6. Gerente de engenharia – 97% homens, 3% mulheres
  7. Gerente de TI – 77% homens, 23% mulheres
  8. Geneticista – 72% homens, 28% mulheres
  9. Protético (especialista em próteses)- 38% homens, 62% mulheres
  10. Controlador de Tráfego Aéreo – 90% homens, 10% mulheres
  11. Farmacêutico – 34% homens, 66% mulheres
  12. Gerente de Marketing – 65% homens, 35% mulheres
  13. Piloto, copiloto e engenheiro de voo – 97% homens, 3% das mulheres
  14. Advogado – 67% homens, 33% mulheres
  15. Gerente de operações – 79% homens, 21% mulheres


O outro lado da moeda

Confira alguns exemplos de profissões que empregam mais mulheres do que homens:

  1. Enfermeiro – 4% dos homens, 96% mulheres
  2. Educador – 17% homens, 83% mulheres
  3. Psiquiatra – 38% homens, 62% mulheres
  4. Anestesiologista – 43% homens, 57% mulheres
  5. Pediatra – 42% homens, 58% mulheres
  6. Intérprete e tradutor – 30% homens, 70% mulheres
  7. Especialista em Tratamento Prisional – 34% homens, 66% mulheres
  8. Investigador – 38% homens, 62% mulheres
  9. Psicólogo industrial-organizacional – 30% homens, 70% mulheres
  10. Especialista em Relações Públicas – 36% homens, 64% mulheres
  11. Curador – 33% homens, 67% mulheres
  12. Designer Gráfico – 40% homens, 60% mulheres
  13. Editor – 36% homens, 64% mulheres
  14. Técnico de Matemática – 46% homens, 54% mulheres
  15. Garçom- 41% homens, 59% mulheres

Equilíbrio

Para finalizar, as 15 profissões onde homens e mulheres estão tecnicamente empatados:

  1. O cientista político – 50% homens, 50% mulheres
  2. Publicidade – 50% homens, 50% mulheres
  3. Motorista de ônibus escolar – 50% homens, 50% mulheres
  4. Mediador e conciliador – 51% homens, 49% mulheres
  5. Sociólogo – 51% homens, 49% mulheres
  6. Operador de computador – 52% homens, 48% mulheres
  7. Padeiro – 48% homens, 52% mulheres
  8. Cientista Médico – 48% homens, 52% mulheres
  9. Contador e Auditor – 47% homens, 53% mulheres
  10. Estatístico – 53% homens, 47% mulheres
  11. Vendedor de varejo – 47% homens, 53% mulheres
  12. Optometrista – 47% homens, 53% mulheres
  13. Diretor de Arte – 47% homens, 53% mulheres
  14. Professor de nível superior – 53% homens, 47% mulheres
  15. Gerente de Treinamento e Desenvolvimento – 53% homens, 47% mulheres

* CareerBuilder entrevistou 1.746 homens e 1.475 mulheres empregados em tempo integral, em março de 2013.

Este artigo é uma adaptação da versão publicada no blog da CareerBuilder, grupo do qual o Portal CEVIU faz parte.

Posts relacionados:

9 mai 2013 | Postado por em Artigos, Destaques | 0 Comentários

Deixe seu Comentário